Informações do Post - - Andrea Rosevell - - 21 de maio de 2020 | - 5:45 - - Home » » » - - Sem Comentários

NOTA DE CONGRATULAÇÃO E APOIO

A Assomise (Associação dos Oficiais Militares de Sergipe) parabeniza e se soma à forma lúcida com a qual a médica mastologista Paula Saab, especialista em Gestão de Atenção a Saúde pela Fundação Dom Cabral/Hospital Sírio Libanês, tem tratado a situação da pandemia da Covid-19 em Sergipe, com suas implicações na área da saúde pública e também da economia de modo geral.

Ela alerta para o fato de o coronavírus ter comportamento epidemiológico diferente em cada região, motivo pelo qual é difícil traçar estratégias plenamente aplicáveis para uma localidade específica tendo como base experiências e dados de outras nações, estados e municípios. Paula Saab defende o “fique em casa”, que considera “muito importante”, contudo, “sem radicalismos”.

Por “radicalismo” a médica entende o “lockdown”, ainda sem evidência sólida de eficácia para diminuir a contaminação pelo Sars-cov-2. Por outro lado, a epidemia do coronavírus tem repercussão noutras doenças preexistentes. Pacientes oncológicos, por exemplo, perderam tempo de tratamento e pacientes crônicos sem controle adequado podem apresentar complicações severas e em médio prazo acarretar maior superlotação do serviço público de saúde.

Os questionamentos da doutora Paula Saab também são os nossos, diante do que ela considera um “surto de pavor” que a população enfrenta, morrendo em casa por medo de procurar auxílio médico:

* Por que não fazer uma campanha de esclarecimento, com informação para as pessoas entenderem o que é importante e o que não é importante, a fim de preservar a saúde?

* Por que não fazer uma estrutura de equipamentos hospitalares “Covid-19 free”, ficando o HUSE como referência para a epidemia, enquanto o Hospital Cirurgia, o Hospital Universitário e outras estruturas hospitalares atendendo só a demanda de doenças oncológicas e crônicas do Estado?

* Por que não fazer postos de atendimento para tentar evitar a internação de pessoas e também promover o acompanhamento domiciliar, incluindo a testagem em massa?

* Por que elaborar uma estratégia para amenizar de forma positiva o resultado da epidemia na economia de modo a favorecer o retorno ao trabalho, com a responsabilidade de que as pessoas entendam que há de se conviver com o coronavírus pois não se sabe quando isso vai passar?

Por fim, a médica deixa uma mensagem importante para os gestores públicos: é preciso quebrar esse pavor, observando que a enorme maioria dos casos da Covid-19 apresenta quadros leves e não precisa ficar hospitalizado; é preciso, portanto, orientar a população e racionalizar o enfrentamento ao coronavírus, que deve deixar de ser emocional e passar a ser mais técnico.

Cel. PM Adriano Reis
Presidente

__ __ __
Acompanhe a entrevista da médica Paula Saab ao jornalista Ricardo Marques, no Balanço Geral Sergipe (TV Atalaia): https://youtu.be/KGKtKYZegCk.

Deixe uma resposta