Informações do Post - - Andrea Rosevell - - 29 de novembro de 2017 | - 5:31 - - Home » - - Sem Comentários

Movimento “Outsiders” em Sergipe, escreve Uilliam Pinheiro

A cada pesquisa de intenção de voto que surge na imprensa, seja para Presidente do Brasil, Governador do Estado de Sergipe, Senador ou mesmo para Deputados Federais e Estaduais, o que mais impressiona é o percentual de votos nulos, brancos e de indecisos que muitas vezes superam a soma de intenção de votos de todos os candidatos listados na pesquisa. É uma demonstração clara que a população já cansou da atual classe política.

E esse cenário não é exclusividade de Sergipe, verdade seja dita, ocorre em todo o Brasil e até mesmo no mundo. Dado esse cenário de descrédito com a classe política vem à tona os chamados “outsiders”, que numa tradução literal significa “de fora do sistema”, são os candidatos ditos de fora do sistema político. Nesse contexto inclui empresários, profissionais liberais, professores universitários e cidadãos que buscam contribuir para uma mudança nas práticas políticas e principalmente na gestão pública atual.

Esse movimento tem ganhado destaque após as vitórias eleitorais de Donald Trump nos Estados Unidos, e principalmente, de Emanuel Macron na França. No Brasil, os destaques foram às eleições de João Dória em São Paulo e a do mineiro Alexandre Kalil para a Prefeitura de Belo Horizonte. Kitty Lima (REDE) foi uma surpresa na eleição de 2016 em Aracaju e se encaixa bem no conceito de ”outsider”. Ventilam-se para 2018 os nomes do apresentador Luciano Huck e do ex-ministro do STF Joaquim Barbosa para concorrer a Presidência da República nesse perfil.

Quando chegamos a Sergipe del Rey, o que mais vemos é muitos políticos carimbados querendo vestir-se como o “novo da política”, porém com práticas antigas e dispostos a unir-se com as velhas raposas da política. Já outros políticos possuem a coerência no que falam e no que praticam o que se tornar “novo” dado que a prática habitual da velha política é prometer o céu e oferecer o inferno. Entretanto em Sergipe não apareceu um “outsider” que venha a ser uma esperança para a população pode respirar um nome de fora da classe política.

Os nomes que mais sobressai como outsiders até o momento em Sergipe e tem ganhado destaque nas pesquisas são do Delegado da polícia civil Alessandro Vieira, do médico cardiologista André Sotero e do Coronel da Polícia Militar Henrique Rocha, contudo no cenário de disputa de vaga para Assembleia Legislativa e Câmara Federal respectivamente.

Após a passagem do saudoso Governador Marcelo Déda, Sergipe carece de uma nova liderança que entusiasme a população sergipana e faça o cidadão estufa o peito e dizer nesse candidato eu voto com orgulho.

Uilliam Pinheiro

Graduado em Economia (UFS)

Graduando em Historia

 

Fonte: Faxaju

Deixe uma resposta