Informações do Post - - Andrea Rosevell - - 16 de novembro de 2020 | - 11:50 - - Home » » - - Sem Comentários

Ministro da Defesa e chefes militares reafirmam Forças Armadas apartidárias

O ministério da Defesa e chefes militares emitiram uma nota oficial hoje reafirmando as Forças Armadas como apartidárias em meio à repercussão de um comentário do comandante do Exército, Edson Leal Pujol, que havia defendido o distanciamento dos militares em relação ao Governo. O documento é assinado pelo ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e pelos comandantes da Marinha (Ilques Barbosa Júnior), Exército (Edson Leal Pujol) e Aeronáutica (Antonio Carlos Moretti Bermudez).

A nota ainda tenta esfriar a polêmica iniciada com a declaração do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), na última terça-feira (10), de que às vezes é preciso ter pólvora além de diplomacia ao se referir à Amazônia. Em meio à repercussão negativa da fala, interpretada como insinuação de que poderia usar militares contra os Estados Unidos, o comandante do Exército disse na última quinta-feira (12) : “somos instituição de Estado, não somos instituição de governo”.
Na nota emitida hoje, o ministro e os chefes militares afirmam que “o Presidente da República, como comandante Supremo, tem demonstrado, por meio de decisões, declarações e presença junto às tropas, apreço pelas Forças Armadas, ao que tem sido correspondido”.

A nota ainda reafirma que “o único representante político das Forças Armadas, como integrante do Governo, é o Ministro da Defesa”.

Ainda segundo os signatários, o comunicado foi formulado diante de “recentes publicações e especulações envolvendo o Governo e as Forças Armadas”.

“A característica fundamental das Forças Armadas como instituições de Estado, permanentes e necessariamente apartadas da política partidária, conforme ressaltado recentemente por chefes militares, durante seminários programados, é prevista em texto constitucional e em nada destoa do entendimento do Governo e do Presidente da República”, diz o texto.

Ontem, Jair Bolsonaro também tentou esfriar a polêmica, declarando que o papel das Forças Armadas é fora da política. Segundo o presidente, as Forças Armadas devem permanecer apartidárias, mas destacou que têm de atuar “baseadas na hierarquia e na disciplina, sob a autoridade suprema do Presidente da República”.
Fonte: Notícias Uol

Deixe uma resposta