Informações do Post - - Andrea Rosevell - - 28 de setembro de 2017 | - 4:23 - - Home » » - - Sem Comentários

Assomise auxilia na inserção ao mercado de trabalho

Meses atrás, Rosângela Jesus Santos se via desesperada e mal conseguia dormir. Mãe de três crianças, a mulher de 24 anos de idade estava desempregada e oferecia serviço de faxina a qualquer preço para lhes dar o que comer. Foi quando uma vizinha a convidou para participar do curso “Como conseguir mais rápido um emprego”, oferecido pela Associação dos Oficiais Militares de Sergipe (Assomise).

Rosângela Santos assistiu a todas as aulas e, ao final, entregou um currículo. Vinte dias depois, recebeu um telefonema que mudaria a sua realidade. “Eu estava em casa, assistindo à novela, quando me ligaram. Quase não acreditei. Foi um momento muito emocionante porque eu tenho três filhos e cuido deles sozinha. Estava realmente precisando de um emprego formal”, conta a mulher.

O consultor e professor José Mirabel, responsável por ministrar o curso e avaliar os currículos, explica o processo de seleção: “Após o período de aulas, a Assomise se encarregou de arcar com o cadastro dos alunos no banco de talentos de uma empresa parceira. Essas pessoas foram entrevistadas e, conforme a necessidade, muitas já foram contratadas.”, diz ele.

Bruno Bonfim, com 22 anos de idade, foi um dos beneficiados. Há sete meses desempregado, ele estava enrolado em dívidas. Concluído o curso, o jovem foi reinserido no mercado de trabalho. “Tudo o que eu mais queria era um emprego. Agora, está tudo caminhando certo. Estou pagando minhas dívidas, aluguel e ainda sobra para curtir. Isso traz dignidade pra gente”, comemora.

“Como conseguir mais rápido um emprego” – O curso foi implementado na gestão do tenente-coronel Adriano Reis, presidente da Assomise. O militar justifica o empenho como forma de minimizar as pressões sociais. “Muitas pessoas, especialmente os jovens e os acima dos 50 anos de idade, enfrentam dificuldade de inserção ou reinserção no mercado de trabalho por falta de qualificação. Ao capacitar essas pessoas, também colaboramos para, além do emprego, manter as famílias coesas e, especialmente fortes, para evitar que descambem para a violência”.

Assessoria de Comunicação

Deixe uma resposta